Compromisso com a proclamação da Palavra de Deus



Sendo uma congregação de fé, serviço e adoração, a Assembleia de Deus não pode furtar-se às suas obrigações – proclamar o Evangelho de Cristo e promover espiritual, moral e socialmente o povo de Deus. Somente assim, estaremos nos firmando, definitivamente, como agência do Reino de Deus.

As Assembleias de Deus não são a única igreja. Deus está usando muitos outros para alcançar o mundo para Ele. Nos cenários brasileiro e mundial somos uma das muitas denominações comprometidas em conduzir crianças, adolescentes, jovens e adultos a Cristo.

Os primeiros missionários da Assembleia de Deus partiram para o campo sem credenciais para comprovarem suas atividades nos países aonde chegavam, estes heróis da Fé realizaram sua parte na Grande Comissão sem qualquer suporte logístico. Essa situação perdurou até janeiro do ano de 1975, quando na 22ª Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, na cidade de Santo André – SP, nasceu a SENAMI (Secretaria Nacional de Missões da CGADB), com a finalidade de estruturar o trabalho missionário da denominação no Brasil e no exterior e credenciar os missionários enviados por suas igrejas.

Os convencionais reunidos em Natal, em 1973, prepararam um relatório para tratar sobre a criação da Secretaria Nacional de Missões das Assembleias de Deus. Em Santo André, dois anos depois de lido e aprovado o relatório, “o presidente pastor Túlio Barros Ferreira falou de forma eloquente e expressiva sobre a OBRA MISSIONÁRIA, tendo cantado um hino os pastores Otoniel e Oziel Moura de Paula trouxeram um avivamento aos convencionais. Antes de terminar a sessão, o pastor João Pereira de Andrade e Silva leu uma carta do missionário Temóteo Ramos de Oliveira, que estava na Espanha, falando sobre a obra de Deus naquele lugar. Depois se sucederam discorrendo sobre o assunto MISSÕES os pastores Joaquim Marcelino, Oziel Moura de Paula, Anselmo Silvestre e Luiz Francisco Fontes, e foi anunciada a primeira oferta para a SENAMI, recolhida durante a sessão, foi de Cr$2.720 (dois mil e setecentos e vinte cruzeiros)” (extraído do livro Histórias da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil da CPAD).

Missões sempre fizeram parte da história das Assembleias de Deus no Brasil, visto que sua existência é fruto do trabalho missionário de dois jovens suecos, Gunnar Vingren e Daniel Berg, os quais desde cedo procuraram incutir no espírito dos membros da igreja a obediência ao IDE de Jesus, exarado na Grande Comissão de Mateus 28.18,19 e Marcos 16.15.

Assim, com apenas dois anos de existência, a Igreja da Missão da Fé Apostólica, mais tarde Assembleia de Deus no Brasil, de sua sede em Belém do Pará, enviou a Portugal seu primeiro Missionário ao exterior: José Plácido da Costa. Em 1921, foi a vez de José de Mattos. Ao longo dos anos outros seguiram os mesmos passos, saindo do Brasil para levar as boas novas a outros povos. Contudo, não havia um órgão oficial normativo que credenciasse os missionários e lutasse pelos seus interesses no campo missionário. Urgia solucionar tal problema, a fim de expandir o potencial missionário das Assembleias de Deus no Brasil e no exterior.

Fonte: Extraído do site da SENAMI.